Em Berlim, Obama pede parceria renovada com a Europa

Em um discurso em Berlim, na Alemanha, o virtual candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que os Estados Unidos e a Europa se distanciaram e que é tempo de voltarem a se unir.

BBC Brasil |


Clique para ver as melhores imagens de Obama na Alemanha

"Se nós formos honestos, nós sabemos que, às vezes, de ambos os lados do Atlântico, nós nos distanciamos e esquecemos nosso destino compartilhado", disse Obama, diante de um público de milhares de pessoas perto da Coluna da Vitória, no parque Tiergarten.O discurso de Obama foi transmitido ao vivo pela TV da Alemanha, país onde o candidato é uma figura popular.

Obama iniciou sua viagem internacional na última sexta-feira. O candidato já passou por Afeganistão, Iraque, Israel e territórios palestinos e, depois da Alemanha, deverá visitar outros países da Europa.

Desafios globais

Obama começou seu discurso prestando tributo aos berlinenses que resistiram à pressão soviética durante o bloqueio após a Segunda Guerra Mundial.

Ao apelar por uma parceria renovada entre Estados Unidos e Europa, Obama identificou terrorismo, proliferação nuclear, drogas e mudança climática como desafios globais.

"Enquanto o século 20 nos ensinou que nós dividimos um destino comum, o século 21 revelou um mundo mais interligado do que em qualquer outra época da história da humanidade", disse Obama.

"Na Europa, a visão de que os Estados Unidos é parte do que deu errado no nosso mundo, em vez de uma força para ajudá-lo a dar certo, tornou-se muito comum."

"Nos Estados Unidos, há vozes que zombam e negam a importância do papel da Europa na nossa segurança e no nosso futuro", disse.

"Mas as responsabilidades da cidadania global continuam a nos unir", continuou. "Neste novo século, americanos e europeus serão chamados a fazer mais, não menos."

O candidato disse que a parceria e a cooperação entre as nações não são "uma escolha", e sim "o único caminho".

Segundo ele, chegou a hora de "derrotar o terror e secar a fonte do extremismo que o apóia".

O candidato afirmou também que é o momento de encerrar o conflito no Iraque, de "renovar o objetivo de um mundo sem armas nucleares" e de união para "salvar o planeta".

"Estadista internacional"

Com a viagem, Obama busca reforçar suas credenciais em política externa, considerado por analistas um dos pontos vulneráveis de sua candidatura.

Segundo o correspondente da BBC em Berlim Steve Rosenberg, Obama espera que, quando as imagens de seu discurso para uma multidão empolgada chegarem aos Estados Unidos, melhorarem sua imagem de estadista internacional.

De acordo com Rosenberg, pesquisas sugerem que 75% dos alemães querem que Obama seja o próximo presidente dos Estados Unidos.

Antes do discurso, o candidato se reuniu com a chanceler alemã, Angela Merkel, e com outros políticos.

Nesta sexta-feira, Obama chega à França, e no sábado deverá visitar a Grã-Bretanha.

Leia também:

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG