Em ascensão, republicano Ron Paul é forte candidato em Iowa

Deputado cresce nas pesquisas desde meados de dezembro e pode desbancar nesta terça os até então favoritos Romney e Gingrich

Carolina Cimenti, de Nova York |

Até o início de dezembro, o pré-candidato republicano Ron Paul não constava nem entre os três primeiro nomes nas pesquisas eleitorais. Nas duas últimas semanas de dezembro, logo após o último debate do ano entre os pré-candidatos, Paul cresceu em todas as pesquisas e se transformou na grande surpresa republicana do ano.

Saiba mais: Veja o especial sobre as eleições nos EUA 2012

AP
Pré-candidato republicano Ron Paul (D) ri durante evento de campanha em Davenport, Iowa (02/01)

- Corrida eleitoral: Disputa republicana por Casa Branca começa nesta terça em Iowa

- Infográfico: Quem são os principais pré-candidatos republicanos?

No debate, ele disse que preferiria tentar bloquear o projeto nuclear do Irã - suspeito de fins militares - por meio da diplomacia a recorrer a uma ação militar, e afirmou ser mais perigoso ter um presidente que exagerasse na resposta ao Irã do que um presidente que pensasse antes de agir. Em questão de horas, ele derrubou todos os seus opositores e passou a ocupar, dependendo do dia, o primeiro ou o segundo lugar nas pesquisas para o caucus de Iowa , onde nesta terça-feira ocorre o primeiro grande teste para os pré-candidatos. 

“Ron Paul vencerá em Iowa e depois disso nada, nem mesmo Mitt Romney , conseguirá frear sua subida”, disse ao iG Ed Rollins, analista político e ex-membro da equipe do republicano Ronald Reagan (1981-1989), referindo-se a um dos republicanos favoritos na disputa. Segundo Rollins, os eleitores de Paul são fieis, e as posições do pré-candidato são firmes. “Ele não muda de ideia e de posição conforme a maré ou o vento. Paul é consistente, e é isso que os eleitores republicanos procuram nesse momento”, afirma. 

O caucus de Iowa é extremamente importante porque pode acelerar ou enterrar completamente a campanha eleitoral de um candidato. Não é incomum ver grandes nomes simplesmente desistirem de concorrer depois de uma grande derrota em Iowa. Além disso, as doações, que são fundamentais para pagar a campanha , tendem a aumentar radicalmente quando um candidato se sai bem no Estado.

- Disputa longa: Entenda como funcionam as eleições americanas

Dinheiro: Quem paga a campanha presidencial dos EUA?

Até 13 de dezembro, Newt Gingrich era o candidato preferido em Iowa, com até 35% das opções de voto. Uma pesquisa feita pela rede NBC no penúltimo dia do ano demonstrou que Ron Paul e Mitt Romney agora dominam as preferências, com um empate técnico entre 21% e 23% respectivamente.

De acordo com Peter Ubertaccio, diretor do Instituto Martin e professor de ciências políticas da Stonehill College, o sucesso de Paul vem do público jovem. “Ron Paul é o grande teórico do movimento Tea Party . Ele defende que o governo deve ser menor e menos onipresente há mais de duas décadas. E ele faz isso sem parecer um radical louco, como Michele Bachmann . É por isso que ele vem conquistando eleitores em todo o país”, explicou ao iG por email. 

Mas omo acontece com todos os candidatos que sobem nas pesquisas, Ron Paul está sendo investigado por todos os jornais e todos os jornalistas políticos dos EUA. Apesar de ser um dos favoritos em Iowa, Paul é fortemente criticado por uma série de boletins com mensagens racistas assinadas por ele nos anos 80 e 90.

Nesses documentos, ele teria comparado cidadãos negros com animais do zoológico e teria afirmado que uma guerra entre raças estaria prestes a acontecer nos EUA. Além disso, alguns boletins criticam homossexuais e trazem mensagens que podem ser entendidas como antissemitas. Paul nega que as tenha escrito e diz que seu nome foi usado sem seu consentimento. 

O comentarista político Howard Kurtz, porém, afirma que o fato de a imprensa não ter estudado e investigado melhor o passado do candidato antes de ele ter subido nas pesquisas é muito perigoso. Segundo Kurtz, é vergonhoso que uma pessoa que tenha tido posições racistas duas décadas atrás tenha passado despercebida e possa inclusive ganhar um caucus importante como o de Iowa. 

O resultado da disputa desta terça-feira pode transformar completamente a corrida pela nomeação republicana.

Segundo pesquisa do Instituto Gallup, atualmente ela parece uma corrida de três homens: Romney, que vem do setor privado e apresenta um discurso menos radical, com 27% da preferência nacional; Gingrich, com um forte histórico de oposição contra os democratas da era Bill Clinton (1993-2001), com 23%; e Ron Paul, deputado há mais de dez anos e mentor do Tea Party, com 11%. Mas, segundo todos os analistas políticos consultados para essa reportagem, após Iowa, essa passará a ser uma corrida de apenas dois homens.

    Leia tudo sobre: eleição nos euacaucus iowarepublicanosromneyron paulgingrich

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG