Em apoio à Bolívia, Honduras esnoba diplomata dos EUA

TEGUCIGALPA (Reuters) - O governo esquerdista de Honduras disse na sexta-feira que o novo embaixador dos EUA no país não deveria apresentar suas credenciais. A afronta a Washington serve como manifestação de apoio à Bolívia, mas o presidente Manuel Zelaya disse que não pretende estragar as relações com norte-americanos. O governo boliviano anunciou na quarta-feira a expulsão do embaixador norte-americano em La Paz, acusado de tramar com a oposição de direita para derrubar o presidente Evo Morales.

Reuters |

Washington reagiu expulsando o representante boliviano. A Venezuela de Hugo Chávez saiu em apoio a Morales e também expulsou o embaixador dos EUA em Caracas. Em retaliação pela expulsão de seu embaixador, os EUA impuseram sanções contra assessores de Chávez, piorando ainda mais as relações entre os dois países.

Zelaya, aliado de Chávez na América Central, deveria receber as credenciais do novo embaixador numa cerimônia na sexta-feira, mas o evento foi adiado em solidariedade à Bolivia, segundo uma fonte do governo. Isso significa que oficialmente Hugo Llorens não se tornou embaixador dos EUA em Tegucigalpa.

Depois do anúncio, Zelaya disse a jornalistas que pretende apenas demonstrar solidariedade a Morales, e que receberá as credenciais do novo embaixador posteriormente. 'De forma alguma queremos provocar um problema com os Estados Unidos. De forma alguma estamos rompendo relações.' (Reportagem de Gustavo Palencia)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG