Em anúncio de meia hora, Obama não cita McCain

A campanha do candidato do Partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, transmitiu na noite desta quarta-feira um anúncio de meia hora de duração em sete canais de televisão dos EUA. Durante a transmissão, não houve nenhuma menção ao rival de Obama, o republicano John McCain, ou ao Partido Republicano.

BBC Brasil |

O anúncio foi transmitido pela campanha de Obama nos principais canais de TV dos EUA, entre eles CBS, Fox e NBC.

Com um custo de cerca de US$ 1 milhão para ser transmitido em cada canal, o comercial também foi veiculado em espanhol pela emissora Univision.

O programa mostrou entrevistas com americanos falando sobre as dificuldades em suas vidas e clipes de várias personalidades políticas e dos negócios afirmando apoiar Obama.

Foram mostradas também imagens de Obama em campanha e em discursos falando sobre suas propostas e seu passado.

"Não serei o presidente perfeito. Mas posso prometer que sempre falarei a vocês sobre o que eu penso e o que apóio", diz Obama no anúncio.

A transmissão terminou com Obama falando ao vivo de um comício na Flórida, onde ele pediu que seus apoiadores continuem a fazer campanha nos últimos dias antes das eleições de terça-feira.

Segundo o correspondente da BBC em Washington, Justin Webb, apesar da atitude Obama não ser inédita - o milionário Ross Perot também comprou espaço em diversos canais em 1992 - o alcance do anúncio não tem precedentes.

Apenas uma grande emissora de TV aberta não aceitou transmitir o anúncio, a ABC. Já a Fox deixou de transmitir o programa que antecederia um jogo de beisebol para acomodar o anúncio de Obama.

Segurança nacional
Antes, em um comício na cidade de Tampa, na Flórida, o rival de Obama, o senador republicano John McCain, lançou ataques sobre as credenciais do democrata em segurança nacional.

McCain afirmou que Obama não tem qualificações suficientes para ser o "comandante" dos Estados Unidos.

"A questão é se este homem tem o que é necessário para proteger os Estados Unidos de Osama Bin Laden, da Al-Qaeda e de todas as ameaças do mundo", disse.

Em outro evento em Miami, McCain atacou as propostas tributárias de Obama.

"Esta é a principal diferença entre nós. Ele acha que os impostos estão muito baixos, e eu acho que os gastos (do governo) estão altos".

Também na Flórida, Obama fez um comício no final da noite, depois da transmissão do anúncio, junto com o ex-presidente dos EUA Bill Clinton.

Seis dias antes das eleições do dia 4 de novembro, Obama lidera a maioria das pesquisas de opinião para o pleito.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG