Roma, 9 fev (EFE).- A italana Eluana Englaro, em estado vegetativo há quase 17 anos e que completa hoje seu terceiro dia sem receber alimento nem hidratação alguma, encontra-se em um estado físico ótimo, afirma seu neurologista, Carlo Alberto Defanti, em declarações publicadas hoje pelo jornal Corriere della Sera.

O neurologista milanês Defanti cuidou por anos de Eluana e é um dos autores do atual protocolo médico que levará a jovem à morte por fome e sede.

"Durante a primeira semana sem alimentação nem hidratação não deve correr grandes riscos. Seu estado físico é ótimo.

Provavelmente, poderá resistir mais que a média".

A respeito de sua estimativa sobre quando ela morreria se continuar o processo, Defanti respondeu que "desde o momento da suspensão (na sexta-feira) até a morte poderiam se passar de 12 a 14 dias".

Perguntado sobre que argumentos baseiam sua avaliação, Defanti afirmou que "quanto a lesões cerebrais, Eluana é uma mulher sã.

Jamais sofreu uma doença, jamais precisou nem sequer de antibióticos".

O acidente de trânsito que Eluana sofreu quando retornava de uma festa, em 18 de maio de 1992, e a deixou em estado vegetativo não causou consequências nos órgãos internos.

"Os órgãos internos não estão lesionados. Os exames realizados na clínica de Lecco (onde ela esteve internada até sua mudança para a 'La Quiete', em Udine, em 2 de fevereiro) eram perfeitos".

O neurologista comentou que, em outubro, Eluana sofreu uma hemorragia interna "da qual se recuperou só, sem transfusões o que é um sintoma de sua boa condição física".

O médico disseque cuidou de Eluana e que agora a está ajudando a morrer. "Ajudo uma pessoa a cumprir sua própria vontade. Trata-se de um ser humano indefeso que foi traído por todos, exceto por seu pai e outros poucos. E talvez ainda seja. Assumo minha responsabilidade.

Não dou um passo para trás". EFE cps/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.