Elizabeth 2ª chega a Irlanda para visita histórica

Antes de sua chegada, polícia irlandesa desativa artefato explosivo em ônibus perto de Dublin

iG São Paulo |

AFP
A rainha Elizabeth 2ª e o príncipe Philip, o duque de Edinburgh, chegam a Dublin para uma visita de quatro dias à Irlanda
A rainha Elizabeth 2ª chegou nesta terça-feira à Irlanda para a primeira visita de um monarca britânico a essa república desde sua independência, em 1922, sob um esquema de segurança sem precedentes em consequência das ameaças de grupos dissidentes republicanos .

Durante a madrugada, um artefato explosivo operacional foi desativado em um ônibus em Maynooth, perto de Dublin, informou a polícia irlandesa.

O avião com a soberana britânica e seu marido, o duque de Edimburgo, pousou pouco antes do meio-dia (8h de Brasília) no aeroporto Baldonnel de Dublin.

A rainha, que usava um abrigo verde esmeralda com chapéu da mesma cor em homenagem aos anfitriões, deixou o avião poucos minutos depois para iniciar a visita histórica de quatro dias.

A viagem tem a aprovação de 81% dos irlandeses, segundo uma pesquisa recente, mas dissidentes republicanos contrários ao processo de paz na Irlanda do Norte anunciaram que a soberana britânica não é bem-vinda, o que obrigou as autoridades a mobilizar um dispositivo de segurança sem precedentes.

Quase 10 mil oficiais da polícia e do Exército foram mobilizados para a visita, considerada um passo a mais na reconciliação e normalização das relações entre os dois países, 11 anos depois do acordos de paz da Sexta-Feira Santa que acabaram, em 1998, com 30 anos de violência entre protestantes unionistas e católicos republicanos no Ulster.

Agenda

Em sua visita, a rainha Elizabeth 2ª percorrerá alguns dos lugares mais simbólicos do nacionalismo irlandês e do conflito entre os dois países durante séculos. Após a chegada ao aeroporto, a rainha e seu marido partiram até a residência da presidente irlandesa, Mary McAleese, para receber as boas-vindas oficiais.

Nesse local, será realizado o plantio de uma árvore para simbolizar o começo de uma nova era de entendimento, como afirmou na segunda-feira o primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, ao ressaltar a importância da visita.

A comitiva real irá até o centro de Dublin, onde, no Jardim da Lembrança, levará flores ao monumento que honra a luta dos irlandeses pela causa da liberdade nacional.

Depois, a rainha percorrerá o curto trajeto que separa Parnell Square da Universidade do Trinity College, o que a obrigará a passar pelo Escritório dos Correios em O'Connell Street, o edificio mais emblemático do Levante de Páscoa de 1916, uma rebelião irlandesa sufocada pelo Exército britânico.

Na universidade, de uso exclusivo de protestantes durante grande parte de sua história, Elizabeth 2ª poderá desfrutar do Livro de Kells, uma das obras mais importantes do cristianismo celta e da arte saxão-irlandês.

Durante a manhã de quarta-feira, Elizabeth 2ª visitará o museu da fábrica da famosa cerveja Guinness e será recebida pelo "Taoiseach" (primeiro-ministro) nos Edifícios Governamentais. Pela tarde, a monarca colocará uma coroa de flores perante o Memorial de Guerra Irlandês, dedicado aos 49,4 mil irlandeses mortos na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e, depois, realizará uma aguardada visita ao estádio dublinense de Croke Park, o palco do primeiro "Domingo Sangrento".

O nacionalismo irlandês ficou marcado pela tragédia em 21 de novembro de 1920, um domingo em plena guerra da independência (1919-1921). Forças paramilitares do Exército britânico entraram no campo e abriram fogo contra o público e os jogadores, que disputavam uma partida de futebol gaélico, deixando 14 mortos, incluindo três crianças, e dezenas de feridos.

Elizabeth 2ª encerrará o dia com uma "jantar de Estado" no Castelo de Dublin, sede do governo britânico durante a ocupação da ilha da Irlanda.

Na quinta-feira, o principal evento será uma audiência ao Centro Nacional de Sementales no condado de Kildare, ao sudoeste de Dublin, incluída no programa dada a conhecida admiração da rainha por cavalos.

A monarca concluirá sua viagem com uma visita matinal na sexta-feira à chamada Rocha de Cashel no condado de Tipperary, no centro do país, um castelo medieval em ruínas também conhecido como a Rocha de São Patrício (patrono da Irlanda).

*Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: grã-bretanhareino unidoirlandaelizabeth 2ªIRA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG