Argel, 9 abr (EFE).- O ministro do Interior da Argélia, Yazid Zerhuni, afirmou que a participação total nas eleições presidenciais realizadas hoje foi de 74,11%, bem acima dos 58,07% registrados no pleito de 2004.

Segundo Zerhuni, os resultados das eleições serão anunciados em entrevista coletiva às 10h locais de amanhã (6h de Brasília).

O ministro ressaltou que houve 75,91% de participação em território argelino, e outros 36,48% referentes aos cidadãos do país no exterior.

A menor participação foi registrada nas duas principais províncias da região da Cabília: Tizi Ouzou, com 30,75% de eleitores, e Béjaia, com 29,36%.

Em Argel, capital do país, a presença foi de 64,76%, enquanto a maior taxa de presença foi a da província de Khenchla, no leste do país, com 97,42%.

"A população ficou surpresa com este índice de participação, mas as explicações são claras. Muitos argelinos sentiram que era preciso votar para fazer frente à oposição de alguns", afirmou o ministro em referência aos partidos que pediram abstenção ao pleito.

As duas legendas da oposição com mais presença na Argélia - a Concentração para a Cultura e a Democracia (RCD) e a Frente de Forças Socialistas (FFS) - denunciaram "uma fraude maciça" nos dados oficiais de participação.

Em nota, o FFS considerou "escandalosos" os resultados divulgados por Zerhuni e assegurou que a pouca presença de eleitores "provocou pânico".

"As irregularidades são maciças e muitas em todo o país e ilustram uma estratégia centralizada de fraude", disse, por sua vez, o RCD.

O candidato Moussa Touati, presidente da Frente Nacional Argelina (FNA), também expressou suas dúvidas sobre os números oficiais de participação e afirmou que os dados são "exagerados". EFE sk/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.