Tamanho do texto

Sófia, 5 jul (EFE).- As eleições gerais que a Bulgária realiza hoje, as primeiras como membro da União Europeia (UE), estão se desenvolvendo sem incidentes consideráveis, informaram à Agência Efe fontes do Ministério do Interior búlgaro.

Os búlgaros vão hoje às urnas para escolher os 240 deputados que os representarão em seu novo Parlamento durante os próximos quatro anos, após uma campanha marcada por escândalos de compra e venda de votos.

Os únicos incidentes dizem respeito a infrações mínimas que se limitam a atividades de propaganda eleitoral perto dos colégios ou pessoas que pedem aos eleitores informação sobre em que partido votaram.

A participação média no país chegou a 10% até as 10h (4h de Brasília), quatro horas depois da abertura dos colégios eleitorais, informou a emissora privada "bTV".

O fluxo de eleitores em Sófia a partir desta hora aumentou e já há filas de pessoas esperando em frente a vários colégios eleitorais na capital búlgara, constatou a Efe na capital.

Segundo as previsões de várias agências sociológicas, a participação poderia ficar entre 55% e 60% do censo.

Apesar de todos os partidos advertirem em suas mensagens eleitorais que a compra de votos é crime, várias investigações jornalísticas revelaram que, em alguns lugares do país, emissários dos partidos ofereceram aos cidadãos entre 25 e 50 euros por voto.

No total, 20 partidos e coalizões disputam os votos de cerca de 6,8 milhões de búlgaros, em eleições nas quais os favoritos são o opositor direitista Cidadãos para o Desenvolvimento Europeu da Bulgária (Gerb), liderado pelo prefeito de Sófia, Boiko Borisov, e o Partido Socialista Búlgaro (BSP), liderado pelo primeiro ministro, Serguei Stanishev.

Os colégios eleitorais fecharão suas portas às 19h (13h de Brasília) e os primeiros resultados oficiais serão anunciados após as 23h (17h de Brasília).

vp/an