Eleições nos EUA transcorrem sem grandes incidentes e com muitas filas

Washington, 4 nov (EFE) - As eleições nos Estados Unidos ocorrem até agora sem distúrbios ou tumultos, apesar de as forças de segurança e o serviço secreto estarem prontos para enfrentar eventuais problemas, asseguraram fontes oficiais.

EFE |

Com exceção de em Chicago e no Arizona, onde os candidatos Barack Obama e John McCain aguardarão hoje à noite o resultado das eleições e as medidas de segurança são compatíveis com a importância do acontecimento, o tom geral nos outros estados é de tranqüilidade e de poucos dispositivos adicionais.

Em Houston (Texas), os agentes foram distribuídos nos diferentes colégios eleitorais para evitar possíveis incidentes, e se postaram em diferentes pontos estratégicos para controlar o fluxo de pessoas, afirmou à Agência Efe um porta-voz do Departamento de Polícia.

No entanto, as forças de segurança não organizaram dispositivos adicionais para este dia.

A mesma coisa acontece em Sacramento, na Califórnia, onde a votação se desenvolve com normalidade e onde a Polícia também não enviou mais agentes que o necessário para garantir a segurança dos cidadãos, segundo Konrad Von Schoech, do Departamento de Polícia.

Mais ao norte, na costa leste, as Polícias estaduais de Maryland e Virgínia não prevêem problemas, já que não receberam instruções especiais ou advertências para adotar medidas extraordinárias de segurança.

Os agentes estão alertas para a ocorrência de qualquer incidente, mas, por enquanto, não foram recebidas ligações ou denúncias, de acordo com os policiais.

Frente à tranqüilidade destes estados no que se refere aos planos de segurança popular, há cidades como Toledo, em Ohio, onde as forças se prepararam para possíveis "distúrbios" durante e depois das eleições.

Em um memorando interno, publicado pela emissora "NBC 24 News", o chefe da Polícia, Mike Navarra, pede aos agentes que levem consigo os equipamentos antidistúrbios, apesar de afirmar que é o material habitual utilizado também em "um dia normal".

Medidas especiais foram tomadas em Chicago, onde uma unidade especial da Guarda Nacional de Illinois se prepara para a comemoração prevista para esta noite no Parque Grant, à qual devem comparecer entre 500 mil e um milhão de pessoas que apóiam o democrata Barack Obama.

Adicionalmente, o serviço secreto controlará os arredores da casa de Obama em Chicago, o Parque Grant e vários hotéis do centro, onde um grande número de jornalistas vindos de todo o mundo e os convidados especiais da campanha democrata devem se hospedar.

Além disso, o corpo de Polícia de Chicago trabalhará em plantões de 12 horas e terá o apoio de agentes de outros 70 condados e do serviço de Guarda Costeira.

Medidas similares foram tomadas para proteger o republicano John McCain, que está sendo escoltado no Arizona pelas forças de segurança e pelo serviço secreto.

O candidato republicano esperará os resultados no hotel Arizona Biltmore, um estabelecimento de luxo que nas últimas décadas esteve vinculado aos momentos felizes na vida do senador.

Cerca de 130 milhões de eleitores estão aptos a votar, em um dia que transcorre, em geral, com tranqüilidade nos colégios eleitorais americanos, apesar das longas filas registradas desde o começo da votação e de problemas menores em algumas urnas de votação.EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG