Eleições europeias: abstenção e vitória dos conservadores no horizonte

As eleições europeias terminam neste domingo com a perspectiva de uma forte abstenção e de uma vitória dos conservadores frente a seus primeiros rivais, socialistas e sócio-democratas.

AFP |

Se a abstenção, em alta constante há 30 anos, não for um novo recorde, ela também não deve ser muito menor do que nas eleições anteriores, vistas as taxas de participação registradas até o meio-dia deste domingo.

Em Portugal, na Itália e na Romênia, elas estavam em baixa em relação às eleições europeias de 2004.

Na Polônia, o mais povoado dos países do leste que entrou para a UE em 2004, a participação estava em 6,65%. O primeiro-ministro Donald Tusk previu uma participação total de apenas 25%.

Na França, era de 14,81%,04.

Os institutos de pesquisa prevêem uma nova vitória dos conservadores, que governam já uns 20 países europeus e devem superar os socialistas e os social-democratas, apesar do aumento do desemprego e da crise econômica.

Segundo as projeções do London School of Economics, o Partido Popular Europeu (PPE), pode ficar com 262 cadeiras, contra 149 do Partido Socialista Europeu (PSE), 85 para os Liberais e 5O aos Verdes.

Os primeiros resultados oficiais das eleições para o Parlamento europeu devem ser divulgadas a partir das 17h00 de Brasília.

bur-cat/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG