Uma turista americana e sua filha de um ano morreram pisoteadas por um elefante no Quênia. As autoridades locais afirmaram que as vítimas passeavam em um grupo acompanhado por um guia na Floresta do Monte Quênia quando o animal atacou.

"A mulher e sua filha morreram na hora", afirmou uma fonte policial citada pela agência de notícias AFP. "Os demais escaparam sem ferimentos porque conseguiram fugir."

Melin Van Laar, proprietária do chalé onde o grupo estava hospedado, disse ao jornal local Nation que o elefante atacou os turistas pelas costas.

Ainda segundo ela, a administração da hospedagem e o Serviço de Vida Selvagem do Quênia (Kenya Wildlife Service), que administra o parque onde o ataque ocorreu, discutem a possibilidade de permitir aos guias que andem armados para proteger os turistas.

Apesar de não serem violentos, os elefantes são perigosos porque podem chegar a 40 quilômetros por hora quando em disparada.

A mulher de 39 anos, cuja identidade ainda não foi revelada, estava em férias com o marido, que sobreviveu ao incidente. Os corpos das vítimas já foram transportados para a capital queniana, Nairóbi.

Leia mais sobre Quênia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.