Após deixar 12 mortos na Guatemala, tempestade tropical causa 3 mortes e obriga retirada de 5 mil pessoas em El Salvador

Mulher tenta se proteger da chuva, no sábado, enquanto caminha por uma rua na Cidade da Guatemala
Reuters
Mulher tenta se proteger da chuva, no sábado, enquanto caminha por uma rua na Cidade da Guatemala
O presidente de El Salvador, Mauricio Funes, decretou neste domingo alerta vermelho em todo o país por causa da tempestade tropical "Agatha", que causou pelo menos três mortes e obrigou a retirada de 5 mil pessoas.

Funes disse também que a decisão foi tomada após analisar a situação que se registra no país, onde as chuvas desta semana foram maiores por causa da tempestade tropical.

O presidente salvadorenho esclareceu que o alerta foi declarado não porque exista "uma quantidade significativa de mortos", mas para pôr "toda a máquina do Estado a serviço da atenção da emergência imediata para poder salvar vidas e evitar mais tragédias".

Funes informou que já se pode lamentar a morte de três pessoas, dois adultos e uma menina de 10 anos que foi atingida por um raio na localidade de Sensuntepeque.

Com a declaração de "alerta vermelho", ordena-se a todo o Estado, instituições públicas e privadas, "colocar à disposição os recursos que forem necessários em apoio à atenção da emergência, deixar os servidores públicos em uma situação de disposição e se suspender as aulas em todo o país".

Segundo o ministro de Obras Públicas, Gersón Martínez, foram registrados 139 deslizamentos de terra em todo o país, especialmente no Departamento (Estado) da Libertad, no litoral do centro do país.

O Serviço Nacional de Estudos Territoriais de El Salvador assinalou que a tempestade tropical "Agatha" caiu para a classificação de depressão tropical após entrar em território guatemalteco, onde deixou 12 mortos , e está a 300 quilômetros a oeste de San Salvador, com ventos máximos sustentados de 55 km/h e rajadas mais fortes.

Ele previu que se manterá a condição de temporal em todo o país "com chuvas contínuas e intermitentes de intensidade forte a muito forte, principalmente na faixa litorânea, cadeia vulcânica, zona ocidental e central do país".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.