Egito vê progressos em negociação de trégua, segundo jornal

JERUSALÉM - Os mediadores egípcios obtiveram importantes progressos na negociação de uma trégua entre Israel e Hamas, informa nesta sexta-feira a edição digital do diário israelense Haaretz.

Redação com agências internacionais |


A minuta precisa somente da aprovação da direção do movimento islamita em Damasco, onde vive seu principal líder, Khaled Meshaal, diz o "Ha'aretz", que baseia sua informação em "fontes israelenses e palestinas".

No dia 18 de janeiro, Israel declarou um cessar-fogo unilateral e foi seguido pelo Hamas pouco depois, após lançar em Gaza uma ofensiva de 22 dias que deixou cerca de 1.400 palestinos mortos. Desde então, o Cairo trabalha como mediador em uma trégua estável que substitua o frágil cessar-fogo atual.

Segundo o "Ha'aretz", a minuta estipulada estabelece um cessar-fogo de um ano e meio - como pretendia Israel -, contra os 12 meses defendidos inicialmente pelo Hamas.

O texto estipula ainda a plena abertura das passagens fronteiriças de Gaza com Israel e Egito, que poria um fim ao cerco aplicado ao território pelo Estado judeu desde junho de 2007.

Também nesta sexta-feira, Khaled Meshaal reiterou que seu grupo rejeitará qualquer acordo de trégua com Israel que não inclua o fim do bloqueio à faixa palestina.

Em discurso no campo de refugiados de Yarmouk, no sul de Damasco, na Síria, Meshaal explicou que sua organização "recebeu propostas vagas por parte do Egito, sem nenhum compromisso israelense de que suspenderá o bloqueio".

"Digo, irmãos, que não aceitaremos a trégua, a menos que inclua o fim do bloqueio, a abertura das passagens fronteiriças e a reconstrução de Gaza", advertiu o secretário-geral do escritório política do Hamas, que vive exilado em Damasco.


Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG