Egito pede que Hamas aceite seu plano para reconciliação entre palestinos

Cairo, 4 nov (EFE).- As autoridades egípcias pediram hoje ao Hamas, que controla a Faixa de Gaza, que aceite o plano proposto pelo Egito para a reconciliação entre palestinos, informaram à Agência Efe fontes de segurança.

EFE |

Segundo disseram as fontes, o pedido foi realizado durante uma reunião entre o mediador e chefe dos serviços secretos egípcios, general Omar Suleiman, e uma delegação do Hamas que chegou hoje ao Cairo e que é presidida pelos líderes palestinos Mousa Abu Marzuk e Mahmoud Zahar.

As fontes disseram que Suleiman pediu aos líderes do grupo palestino que aprovem a iniciativa egípcia para iniciarem o diálogo de reconciliação entre as diferentes facções palestinas cujo início, segundo a agência "Mena", está programado para a próxima segunda no Cairo.

O Egito lançou um plano que contempla a formação de um novo Governo palestino, a preparação de eleições, a reforma das Forças de Segurança e a reconstrução da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), assim como a restauração da situação política em Gaza antes de sua tomada pelo Hamas.

Neste sentido, Suleiman comunicou a Marzuk e Zahar que as reservas do Hamas para a iniciativa egípcia serão consideradas, o que fará com que sejam discutidas pelas comissões integradas por membros das diferentes facções palestinas.

Por último, as fontes disseram que o mediador egípcio intervirá em caso de acontecerem grandes divergências entre os movimentos palestinos ou não alcançarem um consenso.

Além disso, Suleiman, citado pela agência estatal "Mena", afirmou que seu país combinou todos seus esforços para que o diálogo interpalestino tenha êxito, "pois o Egito aposta no patriotismo das facções palestinas e de seus líderes, e por seus sentimentos de responsabilidade frente a seu povo e à causa palestina".

As principais reservas que o Hamas tem para participar do diálogo é a falta de uma atmosfera apropriada para seu desenvolvimento.

Neste contexto, o grupo exige que seu rival, o Fatah, prenda centenas de membros do Hamas na Cisjordânia, controlada pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, líder do Fatah.

Além disso, pede que Abbas participe diretamente no diálogo nacional e que sejam convidadas para estas reuniões três facções dissidentes do Fatah. EFE aj/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG