Egito mantém sacrifício de porcos apesar dos confrontos com cristãos

As autoridades egípcias prosseguiram nesta segunda-feira com o sacrifício de porcos criado pelos cristãos coptas, que exigem indenizações, depois dos confrontos de domingo com a polícia.

AFP |

Quase 200 porcos foram confiscados pelos serviços veterinários para o sacrifício sem o registro de incidentes. A polícia mobilizou um grande dispositivo para evitar enfrentamentos.

"O sacrifício de porcos continuará nesta segunda-feira", afirmou Ishak Mikhail, que dirige uma associação que trabalha com a seleção de lixo e a criação de 60.000 porcos em Moqatam, bairro do sul do Cairo com maioria cristã.

O governo egípcio ordenou o sacrifício de 250.000 porcos criados no país, uma medida controversa já que não se confirmou nenhum caso de transmissão do animal para seres humanos da gripe suína.

No domingo, a operação foi marcada por confrontos entre a polícia e os criadores no Cairo.

As autoridades do Egito apresentaram a operação em um primeiro momento como uma medida de precaução relacionada à gripe suína, antes de afirmar que se tratava de erradicar criações insalubres.

str/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG