Egito condena pela 1ª vez um homem por assédio sexual

Cairo, 21 out (EFE).- Um homem de 36 anos se tornou hoje o primeiro condenado no Egito por assédio sexual, depois que um tribunal o sentenciou a três anos de prisão por bolinar uma mulher, informou a agência oficial Mena.

EFE |

Segundo a agência egípcia, fora os três anos de prisão, o tribunal penal de Abassiya, no norte do Cairo, condenou o motorista de caminhão Sherif Gomaa a pagar uma indenização de 5.001 libras egípcias (670 euros) a mulher.

Além disso, o condenado não poderá se beneficiar de nenhum privilégio penitenciário durante o tempo em que permanecer recluso.

A agência não determinou se Gomaa tem o direito a apelar da sentença.

O acusado foi denunciado pela vítima Noha al-Ostaz, de 27 anos e produtora de documentários cinematográfico, após o homem ter tocado em seus seios enquanto ela caminhava na rua, em 25 de junho.

Segundo a "Mena", Ostaz agarrou o agressor e o levou a uma delegacia de Polícia, onde fez a denúncia.

De acordo com um estudo recente do Centro Egípcio de Direitos da Mulher (CEDM), uma em cada três mulheres sofre diariamente assédio em lugares públicos no Egito.

O incidente mais comum, que engloba 40% dos casos, acontecem quando as mulheres são tocadas por homens, especialmente no transporte público, seguido pelo assédio verbal, que vai desde alusões sexuais a insultos de todo tipo. EFE aj/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG