Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Egito busca terceiro título consecutivo contra jovem time de Gana

A final da Copa Africana de Nações (CAN), disputada neste domingo entre Egito e Gana em Luanda (Angola), representa uma oportunidade histórica para os faraós ganharem seu terceiro título seguido, contra o jovem time dos Black Stars.

AFP |

De qualquer forma, duas das mais importantes seleções do continente africano se enfrentam, com seis títulos egípcios contra quatro dos ganeses.

Sem Mohamed Abou Treika, o Egito sai como favorito para aumentar seu número de títulos graças à harmonia de seu time liderado por Mohamed Zidan e Ahmed Hassan, ainda que sofra com a ausência de Emad Motaeb por problemas no músculo abdutor.

Um novo título ajudaria a seleção egípcia a lavar a alma após a derrota contra a Argélia que o eliminou da fase de classificação para a Copa do Mundo de Futebol, que ocorre de 11 de junho a 11 de julho na África do Sul.

Começando a virar o jogo, os egípcios eliminaram os argelinos do maior campeonato de futebol africano nas semifinais, após uma vitória de 4 a 0.

O balanço do time do Egito, cujo técnico é Hassan Sherata, é impressionante na Copa Africana de Nações, ganhando cinco partidas com 14 gols a favor e apenas dois contra. Além disso, o atacante Mohamed Nagy "Geddo" lidera a classificação de artilheiros do torneio.

Contra eles estará um time jovem que demonstrou boa forma após ganhar do país anfitrião por 1 a 0 nas quartas-de-final e a potente Nigéria, vitoriosa por 1 a 0 na semifinal.

Os Black Stars, que chegaram à CAN com oito campeões do Mundo Sub-20, título conquistado no Egito no último outono, estão focados no Mundial.

Antes, os ganeses deverão realizar um último esforço neste domingo para conquistar uma vitória que esperam desde 1982.

"É nosso melhor resultado e espero que não acabe", disse o treinador Milovan Rajevac, que poderá escalar o goleiro Richard Kingson, afetado por uma dor na virilha.

O jogo dos Black Stars se baseia em uma forte defesa, que compensa as grandes ausências no centro de campo, graças à solidariedade dos jogadores das linhas de trás. Além disso, o atacante Asamoah Gyan parece ter recuperado a forma após várias lesões.

cd/ybl/rsc/ma

Leia tudo sobre: egito

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG