Egito adia diálogo entre grupos palestinos após divergências

DAMASCO/CAIRO (Reuters) - O Egito decidiu neste sábado adiar as conversações de reconciliação entre palestinos que planejava sediar na próxima semana, disse uma fonte egípcia, depois que o grupo islâmico Hamas ameaçou boicotar a reunião. As conversações planejadas para segunda-feira tinham como objetivo pôr fim ao conflito do Hamas com a facção rival Fatah, do presidente palestino Mahmoud Abbas, a quem os dirigentes do Hamas acusam de não libertar membros do grupo e simpatizantes que estão presos.

Reuters |

Abbas disse na sexta-feira que suas forças de segurança somente mantinham criminosos na prisão e não "presos políticos."

"O Egito decidiu adiar os encontros para o diálogo entre palestinos," disse a fonte egípcia à Reuters, no Cairo.

O adiamento das conversações coincidiu com a divulgação de um comunicado pelo líder do Hamas, Khaled Meshaal, no qual diz que seu grupo está pronto para dialogar com o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, desde que ele respeite "as opções e direitos do Hamas."

Ao visitar Israel em julho, Obama descartou a possibilidade de negociar com o Hamas, a menos que o grupo renunciasse à violência e reconhecesse o direito de existência de Israel. Sob o governo do atual presidente norte-americano, George W. Bush, os EUA se recusaram a manter conversações com o Hamas.

(Por Khaled Yacoub Oweis e Nidal al-Mughrabi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG