Edwards descarta ser vice-presidente na chapa de Obama

WASHINGTON - O ex-pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos John Edwards rejeitou nesta sexta-feira participar do pleito nacional como vice em uma chapa liderada por Barack Obama, favorito para conquistar a vaga do Partido Democrata na eleição presidencial.

Reuters |

Edwards, entretanto, não descartou a possibilidade de integrar um eventual governo Obama.

'Isso não vai acontecer', respondeu Edwards ao programa 'Today', do canal NBC, ao ser questionado sobre a possibilidade de concorrer ao lado de Obama como candidato a vice-presidente.

'Não tenho interesse em fazer isso.'

O ex-senador Edwards, que concorreu como vice nas eleições presidenciais de 2004, desistiu em janeiro da corrida pela vaga democrata no pleito de novembro após não ter conseguido vencer nenhuma das prévias iniciais de seu partido.

Na quarta-feira, o ex-senador manifestou seu apoio a Obama, em detrimento de Hillary Clinton, que ainda disputa as prévias do Partido Democrata.

Questionado sobre se havia conversado com Obama a respeito da possibilidade de ocupar um cargo no governo caso o democrata vença a disputa com o republicano John McCain no final do ano, Edwards respondeu: 'Apenas de forma muito abstrata.'

Segundo Edwards, Obama disse-lhe: 'Quero você na minha equipe. Quero sua ajuda tanto na campanha quanto no trabalho que desejamos realizar quando eu for presidente.'

A declaração de apoio de Edwards a Obama veio a público depois de Hillary ter conquistado uma vitória arrasadora nas prévias da Virgínia Ocidental, renovando as dúvidas sobre a capacidade de seu adversário de partido, que se tornaria o primeiro presidente negro dos EUA, de conquistar os eleitores brancos de baixa renda.

Edwards negou que sua declaração tivesse sido pensada para diminuir o peso da vitória de Hillary.

'Aquele foi o momento certo para fazer isso. Eu decidi que o público deveria conhecer, neste momento, qual a minha opinião', afirmou.

O ex-senador disse ter votado em Obama nas prévias da Carolina do Norte e que decidiu 'ter chegado a hora de os democratas começarem a se unir em torno da candidatura dele.'

Obama possui uma vantagem quase insuperável em relação a Hillary em número de delegados eleitos para a convenção do partido, que escolherá, em agosto, o candidato democrata para o pleito nacional.

Essa vantagem fez com que aumentem as pressões sobre Hillary para que desista de sua campanha. Mas a pré-candidata prometeu continuar na corrida até, ao menos, as últimas prévias democratas, marcadas para ocorrer no dia 3 de junho.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG