GENEBRA (Reuters) - O falecido senador norte-americano Edward Kennedy foi condecorado com o prêmio anual da agência de refugiados de ONU por lançar programas que ajudaram milhões de pessoas fugindo de perseguição a começar uma nova vida nos Estados Unidos. O alto comissário para refugiados da ONU, em anúncio do prêmio Nansen nesta terça-feira, prestou tributo a Kennedy como um campeão sem paralelo para proteção e assistência a refugiados por mais de 45 anos.

"O trabalho do senador Kennedy em estabelecer a admissão, estabelecimento e programas de asilos a refugiados nos Estados Unidos ajudaram diretamente milhões de indivíduos perseguidos a encontrar proteção e começarem uma nova vida nos Estados Unidos", afirmou em comunicado.

Recentemente, ele teve um "papel crucial em voltar atenções para as necessidades dos refugiados iraquianos", afirmou, observando que o comitê informou o debilitado senador de Massachusetts de sua escolha em junho, dois meses antes de sua morte.

"O senador se manteve como forte defensor daqueles que de repente se encontraram sem voz nem direitos", afirmou o alto comissário da ONU para refugiados, Antonio Guterres.

Kennedy, que morreu de um câncer cerebral aos 77 anos, após 47 como senador, foi o "patrocinador chefe de mais de 70 medidas de ajuda a refugiados e foi instrumental no estabelecimento de obrigações com refugiados internacionais nas leis dos Estados Unidos", afirmou.

O prêmio foi criado em 1954 em honra a Fridtjof Nansen, um explorador norueguês que serviu como o primeiro alto comissário para refugiados e recebeu o prêmio Nobel da paz.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.