Seul, 1 jan (EFE).- O regime comunista da Coréia do Norte defendeu hoje a desnuclearização na península e a melhora em sua economia, em uma mensagem de ano novo que não teve referências hostis aos Estados Unidos, informou a agência sul-coreana de notícias Yonhap.

A mensagem, estampada em um editorial publicado hoje pela agência norte-coreana "KCNA", parece mostrar o desejo desse regime comunista com poderio nuclear de começar do zero as relações com o novo Governo dos Estados Unidos, que será presidido por Barack Obama.

O editorial da Coréia do Norte critica Seul, porém evita, como costumava ser habitual, dirigir comentários hostis a Washington, três semanas antes de Obama tomar posse.

"A política externa independente de nossa República a favor de desnuclearizar a península coreana e defender a paz e a segurança do nordeste da Ásia e no resto do mundo demonstra sua validade a cada dia", diz a mensagem, assinada conjuntamente pelo partido e Exército norte-coreanos.

A Coréia do Norte "desenvolverá relações com os países que se comportem de forma amigável", acrescenta o editorial.

Grande parte da mensagem de ano novo da Coréia do Norte se dedica à necessidade de melhorar a situação econômica perante a séria crise que o país atravessa, com uma população de US$ 23 milhões.

"Aliviar a escassez de comida é um problema sério", admite a nota, que afirma ainda que se "deve concentrar todos os esforços em conseguir este ano o objetivo de produção de cereais com uma determinação clara de resolver o problema de alimentos". EFE ce/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.