Edinanci lamenta ausência de rival cubana nos Jogos Olímpicos de Pequim

Redação central, 6 ago (EFE).- A judoca brasileira Edinanci Silva lamentou a ausência nos Jogos Olímpicos de Pequim de sua principal rival nas Américas, a cubana Yurisel Laborde, que desertou de seu país após o torneio pan-americano da modalidade em Miami, nos Estados Unidos.

EFE |

"Ela viu que uma medalha a mais não mudaria sua condição de vida.

Respeito sua opção, foi uma chance que ela encontrou", disse Edinanci, que, apesar de grande adversária da cubana - com quem decidiu os últimos seis Pan-Americanos - era amiga dela fora dos tatames.

"Acho uma pena a Laborde não estar aqui. Ela é uma grande atleta e isto enobrece qualquer conquista. Não adianta ser campeão vencendo adversários inexpressivos", acrescentou a paraibana, que luta em Pequim na categoria meio-pesado, no dia 14.

Bicampeã mundial e bronze nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas, Laborde será substituída em Pequim por Yallenis Castillo, que foi derrotada pela brasileira Mayra Aguiar este ano em Miami na categoria até 70kg.

Parte da equipe brasileira esteve hoje no Ginásio da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pequim para fazer o reconhecimento do local de competições.

Os ligeiros Sarah Menezes e Denílson Lourenço abrem a participação brasileira nos tatames de Pequim, no dia 9. Já Leandro Guilheiro compete no dia 11.

O Ginásio também sediará o sorteio das chaves nesta quinta-feira, dia 7, às 19h. Cada país será representado por dois oficiais.

Pela primeira vez nos Jogos Olímpicos, o Brasil terá quatro cabeças-de-chave: os campeões mundiais João Derly, Tiago Camilo e Luciano Correa serão cabeças-de-chave número um, enquanto João Gabriel Schlittler será número três. EFE ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG