Economistas explicam à rainha Elizabeth II origem da crise

Londres, 26 jul (EFE).- A rainha Elizabeth II da Inglaterra recebeu uma carta de economistas na qual explicam à monarca a atual crise econômica, informou hoje o jornal The Observer .

EFE |

Os analistas enviaram a carta, de três páginas, depois que Elizabeth II perguntou, durante uma visita à London School of Economics (LSE), da capital britânica, por que ninguém foi capaz de prever a crise creditícia.

Assinada pelo professor da LSE Tim Besley, membro do comitê de política monetária do Banco da Inglaterra, e pelo historiador Peter Hennessy, a correspondência atribui a crise a "uma falha da imaginação coletiva de muita gente brilhante", que não conseguiu "compreender os riscos do sistema em sua totalidade".

O texto fala também da "psicologia da negação" que absorveu o mundo das finanças e a política, e menciona como exemplo de "uma ilusão combinada com orgulho desmesurado" os "magos financeiros" que propagaram o risco nos mercados.

No Palácio de Buckingham, residência oficial de Elizabeth II em Londres, uma porta-voz não quis falar sobre a carta e se limitou a dizer: "A rainha sempre tem interesse em temas de atualidade e se mantém a par. Obviamente, a recessão é uma atualidade".

Quando a monarca visitou a LSE, perguntou ao professor Luis Garicano, do Departamento de Gestão Econômica, sobre as origens da crise.

Ele respondeu que "em cada fase alguém dependia de alguém e todo o mundo pensou que fazia o correto", uma cadeia que Elizabeth II não hesitou em descrever como algo "horrível". EFE pa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG