O economista chefe do Banco Central Europeu (BCE), Juergen Stark, criticou nesta terça-feira a decisão do G20 de aumentar os recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) por meio de uma emissão de direitos especiais de giro (SDR).

"É uma criação de dinheiro pura", afirmou Stark ao jornal alemão Handelsblatt.

"Nenhum estudo determinou se houve uma necessidade adicional de liquidez a nível mundial", declarou.

Os líderes do G20, que reúne países desenvolvidos e emergentes, decidiram triplicar os recursos do FMI a um total de 750 bilhões de dólares.

O aumento de fundos inclui uma emissão de US$ 250 bilhões de SDR, um ativo de reserva internacional criado pelo FMI em 1969 para complementar as reservas oficiais existentes dos países membros.

ilp/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.