O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que os milhares de americanos que estão perdendo seus empregos esperam uma ação ousada e rápida por parte de Washington. O comentário, realizado pouco após um encontro entre o líder americano americano e um grupo de altos executivos americanos, foi uma referência ao pacote de estímulo econômico de US$ 825 bilhões que deverá ser votado nesta quarta-feira pelo Congresso.

Pouco após a reunião, Obama se disse confiante na aprovação do pacote.

A fim de cortejar os executivos a aderirem ao pacote, o presidente enfatizou que sua proposta deverá gerar até quatro milhões de empregos em diferentes áreas e destacou que a maior parte dessas vagas surgirão no setor privado, porque ''é o mundo dos negócios, e não o governo, que é o agente do crescimento".

Ceticismo
Obama disse compreender as dúvidas em relação às dimensões do plano econômico.

''Eu compreendo esse ceticismo'', afirmou, acrescentando, no entanto, que a aplicação do investimento bilionário na economia americana se daria de forma transparente.

Ele disse estar tomando medidas sem precedentes que obrigarão sua administração a revelar detalhes do pacote ''em vez de aplicar esse dinheiro de forma secreta''.

De acordo com o Obama, os investimentos feitos por seu governo estarão disponíveis na internet.

''Restaurar a transparência é não apenas a melhor maneira de se atingir resultados, mas também de restaurar a confiança.''
Críticas
Os críticos do pacote argumentam ainda que, para levantar a cifra bilionária do pacote, os Estados Unidos irão ampliar ainda mais o seu já gigantesco déficit, de US$ 1,2 trilhão.

Na terça-feira, o Comitê de Apropriações do Senado aprovou uma parcela de US$ 365,6 bilhões do plano econômico.

No mesmo dia em que os senadores deram início às discussões a respeito do pacote.

Obama espera implantar o pacote econômico até meados de fevereiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.