É preciso garantir ao Irã que não será atacado, diz Jobim

Washington, 12 abr (EFE).- O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse hoje ao secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, que a comunidade internacional deve dar garantias ao Irã de que não será atacado, como parte de um acordo para que suspenda seu programa nuclear.

EFE |

Durante o encontro no Pentágono, Jobim reiterou a posição brasileira de que as negociações com o Irã devem se esgotar antes da adoção de sanções.

Em entrevista coletiva na residência do embaixador do Brasil em Washington, Jobim pediu que seja levado em conta o "entorno estratégico" do Irã.

"É preciso dar garantias ao Irã de que não será atacado", afirmou o ministro, ao enfatizar que o exemplo do Iraque sob o Governo de Saddam Hussein demonstra a pouca efetividade das sanções.

Em todo caso, Jobim enfatizou que o Brasil "é absolutamente contra o desenvolvimento de artefatos nucleares".

Está previsto que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visite o Irã em maio, depois que o governante iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, veio ao Brasil no final do ano passado.

O programa nuclear iraniano não está formalmente na agenda da cúpula nuclear, que começará hoje em Washington, mas deve ser discutido em reuniões bilaterais entre os países presentes. EFE cma/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG