É preciso calar quem divulga dados alarmantes da crise, diz Berlusconi

Roma, 26 jun (EFE).- O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, disse hoje que é necessário calar a boca daqueles veículos de imprensa e organismos que divulgam dados alarmantes sobre a crise econômica.

EFE |

Berlusconi fez estas declarações durante a entrevista coletiva de apresentação do projeto de lei com medidas contra a crise, aprovado hoje na reunião do Conselho de Ministros.

O chefe do Executivo italiano afirmou que é preciso "calar a boca" de todos os organismos e meios de comunicação que "incentivam o medo e divulgam o pânico".

"Dia sim, dia não", há organizações internacionais que falam "sobre uma queda de 5% no Produto Interno Bruto (PIB), uma queda de 5% no consumo. Um desastre", disse o primeiro-ministro.

Segundo Berlusconi, "é necessário incentivar atuações com o objetivo de que editores e diretores de jornais não contribuam para divulgar o pessimismo".

No último dia 24, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) estimou que o PIB italiano iria sofrer uma queda de 5% em 2009, dado também divulgado pelo Banco da Itália um dia depois em suas previsões para este ano.

Berlusconi reiterou sua proposta, efetuada dias atrás, na qual pedia aos empresários para que não invistam em publicidade nos veículos de imprensa que "são em si mesmos fatores de crise".

"O que é preciso fazer é recuperar o consumo, fazer as pessoas voltarem a seu estilo de vida anterior, porque a maioria não têm motivos para modificá-lo", apontou.

Por fim, Berlusconi assegurou: "os italianos estão do meu lado".

EFE ebp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG