Vala comum é encontrada no extremo leste da Rússia, perto da cidade portuária de Vladivostok

Mais de 200 corpos foram exumados de uma vala comum no extremo leste russo, que data da época do ditador soviético Joseph Stalin, indicou uma autoridade local.

A vala foi encontrada por operários próximo à cidade portuária de Vladivostok durante as obras de construção de uma estrada para a cúpula dos países Ásia-Pacífico (APEC), que será realizada nesta cidade em 2012.

"Foram descobertos mais de dez terrenos que continham restos de corpos e foi exumada 1,5 tonelada de restos, o que quer dizer que havia mais de 200 cadáveres", indicou a mesma fonte.

De acordo com os investigadores citados pela agência Itar-Tass, as vítimas foram executadas pela polícia secreta de Stalin ou morreram durante sua transferência para os campos de concentração.

Vladivostok, principal cidade litorânea no Pacífico russo, foi o principal ponto de passagem para os opositores enviados aos gulags, onde milhões de soviéticos morreram antes da morte do ditador, em 1953.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.