Duzentas pessoas são detidas e 66 ficam feridas após manifestação em Londres

Mais de 250 mil pessoas se manifestaram contra os cortes no setor público anunciados pelo Governo de David Cameron

EFE |

A Polícia britânica informou neste domingo que 214 pessoas foram detidas e 66 ficaram feridas no sábado nos incidentes ocorridos após a manifestação para protestar contra as medidas de austeridade do Governo.

Os detidos foram acusados de alterar a ordem pública, enquanto dos 66 feridos, 31 eram policiais, dos quais 11 tiveram que ser hospitalizados. Mais de 250 mil pessoas se manifestaram contra os cortes no setor público anunciados pelo Governo de David Cameron, no maior protesto convocada na capital britânica desde a manifestação de 2003 contra a Guerra do Iraque.

A confederação sindical britânica Trade Union Congress (TUC) organizou a manifestação, que começou antes do meio-dia, de maneira pacífica, na região de Embankment, sobre o rio Tâmisa, e marchou até o Hyde Park. No entanto, um grupo minoritário se afastou da manifestação e marchou pela rua Oxford Street, onde enfrentou policiais, enquanto alguns jogaram tinta contra lojas e agência bancárias.

Além disso, houve resistências entre manifestantes e policiais na frente da loja Fortnum & Mason, famosa por vender o tradicional chá inglês. Também houve resistências entre manifestantes e a Polícia na Praça Trafalgar e na rua Piccadilly, onde alguns integrantes deste grupo minoritário atearam fogo em madeiras.

Professores, enfermeiras, membros do Serviço Nacional de Saúde, trabalhadores de Prefeituras e outros funcionários do setor público se uniram a estudantes e aposentados no protesto contra as medidas de austeridade do Governo. Os participantes procediam de diferentes pontos do país, por isso que as forças da ordem dispuseram nas ruas de Londres cerca de 4.500 policiais para manter a ordem.

    Leia tudo sobre: R.UNIDOPROTESTOS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG