Duplo atentado na Argélia deixa treze mortos

Dois atentados a bomba mataram treze pessoas, entre elas um engenheiro francês, seu motorista argelino e vários membros das forças de segurança e da defesa civil, neste domingo na região de Lakhdaria, a leste de Argel, informou a polícia.

AFP |

O alvo principal do ataque foi o automóvel do engenheiro, que explodiu ao passar sobre uma bomba quando saía de uma obra da companhia francesa Razel, para a qual trabalhava em um projeto de reparação de via férrea, perto da estação ferroviária de Beni Amran.

O engenheiro ficou gravemente ferido e morreu posteriormente, segundo a polícia.

As demais vítimas morreram na explosão de uma segunda bomba, quando corriam para socorrer o veículo do engenheiro, informaram testemunhas.

Além do engenheiro e de seu motorista, o ataque matou oito membros das forças de segurança e três agentes da defesa civil.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, condenou "a violência bárbara" em uma mensagem enviada a seu colega argelino, Abdelaziz Bouteflika, e garantiu a Argel "a plena solidariedade da França e seu apoio indefectível à luta determinada contra o terrorismo".

O chanceler francês, Bernard Kouchner, lamentou o ataque "que enlutou a Argélia causando a morte de várias pessoas, entre elas um cidadão francês". "Quero expressar minha indignação e minha absoluta condenação a esta violência terrorista cega, que não tem nenhuma justificativa".

Em 21 de setembro de 2007, dois franceses e um italiano, que trabalhavam para a mesma companhia francesa de obras públicas, foram feridos em outro atentado a bomba contra seu veículo, também na região de Lakhdaria.

O ataque feriu ainda cinco policiais argelinos que escoltavam os trabalhadores europeus.

A ação foi reivindicada pelo braço da Al-Qaeda no Magreb, o antigo Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC).

Na quinta-feira passada, seis militares argelinos morreram e outros quatro ficaram feridos em Cabo Yinet, na região de Dellys, a leste de Argel, em um atentado atribuído a um grupo islâmico.

Os militares voltavam para o quartel quando uma bomba explodiu na passagem de seu veículo.

Na quarta-feira, dois atentados simultâneos sacudiram Bordj El Kiffan, na periferia leste de Argel, matando um terrorista suicida e ferindo outras seis pessoas.

O ataque, também atribuído a um grupo islâmico, visava um quartel da guarda republicana e um popular café do litoral.

Os grupos armados islâmicos são muito ativos nesta região da Argélia.

hz/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG