Dupla de neonazistas argentinos é obrigada a trabalhar em Museu do Holocausto

Buenos Aires, 17 mar (EFE).- Dois jovens neonazistas foram condenados a trabalhar 50 horas no Museu do Holocausto de Buenos Aires e outras 100 em um refeitório comunitário por terem pintado suásticas em uma sinagoga da capital argentina, informa hoje a imprensa local.

EFE |

Os dois skinheads terão de comparecer ao Museu do Holocausto para participar de "ações pedagógicas e culturais" desenvolvidas pela instituição e tomar "conhecimento direto das horrendas circunstâncias" do extermínio de judeus "na Alemanha nazista", decidiu um tribunal de Buenos Aires.

Depois de dedicar 50 horas a essas atividades, a dupla de neonazistas será obrigada a trabalhar outras 100 em um refeitório comunitário do bairro da Constituición, na zona sudeste da capital argentina, segundo a sentença publicada hoje pelo jornal "Clarín".

"Ainda não recebemos a notificação da Justiça. Mas não seria a primeira vez que receberíamos jovens terem cometido atos discriminatórios", declarou Graciela Jinich, diretora do Museu do Holocausto.

Já os porta-vozes do refeitório comunitário disseram que os cabeças raspadas são esperados para esfregar o chão e pintar paredes, entre outros serviços de manutenção. EFE alm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG