Dubai acusa Israel de falsificação maciça de passaportes

O chefe de polícia de Dubai acusou nesta terça-feira Israel de organizar uma falsificação em larga escala de passaportes ocidentais e afirmou que o país detectou recentemente novos documentos manipulados.

AFP |

"Faço o alerta: Israel se dedica a uma operação de falsificação em larga escala de passaportes ocidentais. O mundo ocidental deve opor-se a estas práticas sem precedentes executadas por um Estado", declarou o general Dahi Khalfan.

A acusação foi feita um dia depois da Interpol ter emitido 16 novos avisos de busca pelo caso do assassinato em Dubai , em janeiro, de um dirigente do movimento radical palestino Hamas, Mahmud al-Mabuh, o que eleva a 27 o número de ordens de detenção contra cidadãos britânicos, australianos e irlandeses, além de um francês e um alemão.

A polícia de Dubai, que acusa o Mossad, serviço secreto israelense, pelo assassinato, divulgou no fim de fevereiro uma lista de 26 suspeitos de passaportes ocidentais que teriam usurpado as identidades dos titulares.

O general Khalfan afirmou que após o caso Mabuh, o serviço de segurança do emirado passou a submeter os ocidentais que chegam a Dubai a controles mais rígidos e descobriram "dezenas de passaportes que foram manipulados da mesma maneira".

Ele não revelou os motivos das viagens dos donos dos passaportes, mas deu a entender que poderia se tratar de espionagem.

Leia mais sobre Hamas

    Leia tudo sobre: hamas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG