Duas semanas de incertezas para Ingrid Betancourt

A missão médica francesa enviada para socorrer a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, seqüestrada em 2002, foi considerada improcedente nesta terça-feira pela guerrilha das Farc, em meio a controvérsias sobre o real estado de saúde da refém.

AFP |

Seguem abaixo os principais acontecimentos relacionados à missão:

27 de março: O defensor público Vólmar Pérez assegura que recebeu versões de que o estado de saúde de Betancourt é "muito delicado" e que ela foi atendida em postos de saúde da zona de selva do departamento de Guaviare (sudeste).

27 de março: O alto comissário da paz, Luis Carlos Restrepo, menospreza os "rumores" sobre a suposta gravidade da saúde de Betancourt.

27 de março: Bogotá garante que caso as Farc libertem Betancourt, será dado o início do acordo humanitário e os rebeldes presos serão soltos, em troca.

31 de março: A França se declara disposta a examinar "qualquer fórmula que possa facilitar uma solução" para a crise dos reféns, inclusive receber membros das Farc em seu território.

31 de março: O dirigente comunista Carlos Lozano disse que a comunicação com as Farc é complicada devido à ausência de um interlocutor, após a morte do número dois da guerrilha, Raúl Reyes.

1 de abril: O presidente francês, Nicolas Sarkozy, pede ao chefe das Farc, Manuel Marulanda, que liberte imediatamente Betancourt.

1 de abril: O presidente colombiano, Alvaro Uribe, anuncia que aceitou uma proposta de Sarkozy para suspender operações militares em uma zona do sudeste do país e permitir a chegada de missão médica para atender Betancourt e outros reféns.

2 de abril: O filho de Ingrid Betancourt, Lorenzo Delloye, assegurou que sua mãe iniciou uma greve de fome para desafiar as Farc e Uribe.

3 de abril: O avião da missão humanitária francesa chega à Colômbia.

4 de abril: Milhares de pessoas organizaram manifestações nas cidades da Colômbia para pedir a libertação dos reféns.

5 de abril: Manifestação em Paris pela libertação de Betancourt.

7 de abril: O ministro das Relações Exteriores francês, Bernard Kouchner, afirma que seu país tem a "impressão" de que Betancourt "está melhor do que tem sido dito".

8 de abril: O secretariado das Farc rejeita em comunicado a missão humanitária enviada por Sarkozy, por considerá-la "improcedente".

cop/cl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG