Pelo menos 40 pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas na explosão de duas bombas na cidade de Al Khales, norte do Iraque, nesta sexta-feira. Os atentados ocorreram pouco antes de o ex-primeiro-ministro Iyad Allawi ser anunciado http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/03/26/ex+primeiro+ministro+iyad+allawi+vence+as+eleicoes+legislativas+no+iraque+9440800.html target=_topvencedor das eleições legislativas, ao conseguir 91 cadeiras no Parlamento.


As explosões, causadas por uma bomba e um carro-bomba, aconteceram cerca de dois restaurantes de um mercado popular de Al Khales, a 15 quilômetros ao norte de Baquba, capital da província de Diyala, uma das áreas mais conflituosas do país.

As fontes indicaram que pelo menos 12 dos feridos têm lesões muito graves. Entre eles há crianças e mulheres. O duplo atentado causou graves danos aos locais próximos e aos veículos estacionados na região.

Eleições

Os ataques foram lançados pouco antes de a Comissão Eleitoral do Iraque anunciar os resultados finais das eleições parlamentares em um hotel do centro de Bagdá.

Allawi venceu as eleições ao conseguir 91 cadeiras no Parlamento e, seu adversário, o atual primeiro-ministro Nuri al Maliki, obteve 89 cadeiras.

Após a divulgação da apuração, Maliki disse que não aceitará os resultados. "Com certeza, não iremos aceitar estes resultados", disse o primeiro-ministro em coletiva de imprensa.

Antes do resultado final ser divulgado, Al Maliki e o presidente iraquiano, Jalal Talabani, chegaram a pedir uma apuração manual de todos os votos, possibilidade que foi rejeitada pela Comissão Eleitoral. Nesta sexta-feira centenas de partidários do Maliki saíram às ruas de Bagdá para reivindicar a contagem manual.

Reuters
Partidários de Maliki protestam contra partido Baath, de ex-ditador Saddam Hussein

Partidárias de Maliki defendem contagem manual em Bagdá

A Aliança Nacional Iraquiana (ANI), que agrupa vários partidos religiosos xiitas, ficou em terceiro lugar, com 70 cadeiras. A Aliança Curdistana, união dos dois grandes partidos curdos, obteve 43 cadeiras.

O enviado especial da ONU para o Iraque, Ad Melkert, afirmou que as eleições legislativas foram "confiáveis" e disse que houve "êxito".

Ele pediu que os diferentes candidatos "aceitem os resultados". "A opinião da ONU é que essas eleições foram confiáveis, e felicitamos o povo iraquiano por esse êxito", declarou Melkert em coletiva de imprensa.

Leia mais sobre Iraque

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.