Drogas são grave ameaça para estabilidade de Afeganistão e Irã

As drogas constituem uma grande ameaça para a estabilidade política, econômica e social de vários países estrategicamente importantes da Ásia Ocidental, como Afeganistão, Irã e Paquistão, segundo relatório da Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife), órgão independente dentro do sistema da ONU.

EFE |

Segundo o relatório, esses países são afetados por uma ampla variedade de problemas, entre eles o crime organizado, a corrupção e a grande demanda de opiáceos.

O Afeganistão, onde os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) travam uma sangrenta guerra contra a milícia islâmica Taleban, continua sendo "de longe o maior produtor ilícito do mundo" de heroína e outros opiáceos.

Após alcançar um ponto máximo em 2007, o cultivo ilícito de papoula e a produção ilegal de ópio diminuíram em 2008 e 2009 nesse país.

Segundo os dados citados pela Jife, dos 193 mil hectares de papoula cultivados em 2007, passou-se a 157 mil hectares em 2008 e a 123 mil hectares em 2009.

Segundo o relatório, agora é um momento oportuno para que o governo afegão e a comunidade internacional deem total prioridade para "melhorar a governabilidade, impulsionar o desenvolvimento econômico e promover o apoio à criação de meios de vida alternativos legítimos para os agricultores" do país asiático.

Irã

A República Islâmica do Irã, cujo polêmico programa nuclear é objeto de fortes tensões geopolíticas, é o principal país de passagem para o ópio afegão.

Quanto ao consumo das drogas na região, a Jife destaca que todos os países da Ásia Ocidental, especialmente Irã e Paquistão, têm uma das maiores taxas de uso indevido do mundo.

    Leia tudo sobre: drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG