A ritalina, um medicamento utilizado no tratamento de crianças hiperativas, também pode ser eficiente na prevenção de quedas em idosos, de acordo com um estudo publicado no Journal of the American Geriatrics Society.

"As pessoas idosas que tomam metilfenidato (nome genérico da ritalina) podem melhorar suas capacidades cognitivas e seu andar, reduzindo, assim, o risco de quedas sérias", aponta o estudo, realizado pela Universidade de Tel Aviv.

Normalmente, esse medicamento é receitado para curar o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) nas crianças com mais de 6 anos.

Após os exames realizados em 26 pessoas de idade avançada, revela-se que uma única dose do remédio também permite um andar mais seguro, evitando as quedas.

"Nosso estudo sugere que é possível reduzir o risco de cair, para os idosos, tratando de déficits cognitivos ligados ao envelhecimento", destacou o professor de Neurologia Jeffrey Hausdorff, principal autor do estudo, em um comunicado.

Isso vai na mesma direção de estudos cada vez mais numerosos "que mostram que caminhar não é um ato simples, nem automático, como se pensava até agora", afirmou.

Segundo ele, mais de 50% dos adultos na terceira idade, vítimas de uma fratura do quadril, em conseqüência de uma queda, falecem ao longo do ano seguinte.

Os pesquisadores pretendem fazer mais estudos para avaliar "esse conceito que gera intriga" sobre uma prevenção das quedas, por meio de comprimidos destinados a diminuir a hiperatividade.

vmt/tt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.