Dormir demais ameaça saúde de mulheres com mais de 50 anos

Washington, 17 jul (EFE).- As mulheres que já tiverem passado pela menopausa podem correr maior perigo de sofrer um ataque apoplético se dormirem demais, revelou hoje um estudo publicado pela revista Stroke, da Associação de Cardiologia dos Estados Unidos.

EFE |

Essa conclusão foi extraída de uma pesquisa realizada entre 1994 e 2005 com 93 mil mulheres entre 50 e 79 anos.

Só cerca de 5% das mulheres desse grupo disseram que dormiam uma média de nove horas ou mais por noite.

Os pesquisadores da Escola de Medicina Albert Einstein, de Nova York, determinaram que nelas o perigo de sofrerem com esse tipo de infarto era entre 60% e 70% maior do que as mulheres que dormiam uma média de sete horas ou menos.

Os cientistas, que apontaram que foram levados em consideração outros fatores de risco, dizem que essa média de sete horas é o período normal de sono em mulheres dessa idade.

Sylvia Wassertheil-Smoller, epidemiologista dessa escola de medicina, indicou que o estudo não estabelece se um menor período de sono reduziria o perigo de ataque em mulheres de idade avançada.

Também não esclarece se as conclusões do estudo são aplicáveis a mulheres e homens mais jovens.

Mas, por outro lado, o estudo também determinou um aumento do perigo de apoplexia em mulheres que dormem menos de seis horas.

Em termos gerais, o estudo estabeleceu que entre as mulheres nessa faixa etária 8% disse que dormia menos de cinco horas por noite, 27% revelaram que dormiam em média de seis, 38% sete horas, e 23% oito horas. EFE ojl/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG