Dor por avião desaparecido marca manhã no Tom Jobim

Rio de Janeiro, 1 jun (EFE).- O aeroporto internacional Tom Jobim viveu hoje uma manhã de dor com a chegada dos parentes dos passageiros do Airbus A330 da companhia Air France que desapareceu domingo à noite enquanto cobria a rota entre Rio de Janeiro e Paris.

EFE |

Desde o início da manhã o terminal 1 do aeroporto se transformou em um vai-e-vem de parentes e amigos de alguns dos 228 passageiros e tripulantes que estavam no aparelho.

Todos eles foram levados a uma sala adaptada no aeroporto, onde receberam atendimento por parte dos responsáveis da companhia aérea e por uma equipe de psicólogos preparada para este tipo de situação.

Os passageiros que embarcariam hoje no voo de 16h da Air France com destino a Paris eram surpreendidos com as notícias do avião que desapareceu e com a grande concentração de veículos de comunicação no local.

Porém, entre tanta dor também houve espaço, esta manhã, para o alívio daqueles que, alertados pela notícia do desaparecimento do avião, foram ao aeroporto e receberam a notícia de que os conhecidos não estavam no voo.

É o caso do coreógrafo Gustavo Ciriaco que, apesar de ter comprado uma passagem para o voo de 16h deste domingo, descobriu, ao chegar ao Galeão, que, por um erro da companhia, tinha sido colocado no de 19h.

O passageiro, no entanto, conseguiu trocar o bilhete para o horário original. EFE edv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG