Dono de jornal é morto em atentado na Croácia

Um atentado a bomba causou a morte de um proeminente jornalista croata e um colega seu nesta quinta-feira à noite, em Zagreb. Ivo Pukanic e o diretor de marketing de seu jornal, Niko Franic, morreram em frente à sede do jornal Nacional, no centro da cidade, quando uma bomba explodiu no carro dele.

BBC Brasil |

O jornal de Pukanic denunciava frequentemente a corrupção e abusos contra os direitos humanos.

Ainda não há informações sobre quem estaria por trás do ataque. O primeiro-ministro Ivo Sanader condenou veementemente o atentado, o último em uma onda de crimes que atinge a cidade.

'Beirute'
Sanader disse a jornalistas que não vai permitir que a "Croácia se torne uma Beirute".

"Isso não é mais apenas uma luta contra o crime organizado", disse ele, "isso é algo contra o qual todos nós na Croácia vamos nos levantar".

O atentado de quinta-feira é o mais recente em uma série de ataques ligados ao crime organizado na Croácia, segundo a correspondente da BBC nos Balcãs, Helen Fawkes.

No início deste mês, a filha de um importante advogado croata foi assassinada a tiros, causando revolta pública.

Pouco depois do crime, o primeiro-ministro demitiu seus ministros da Justiça e do Interior, além do chefe da polícia nacional, em resposta ao aumento da criminalidade.

O governo teme que o medo provocado pelo aumento da violência possa ameaçar as chances da Croácia de entrar para a União Européia, cujas negociações estão marcadas para o ano que vem.

A Croácia espera ser o 28º país do bloco em 2011. Um relatório de progressos crucial para suas ambições deve ser publicado em novembro.

    Leia tudo sobre: atentadoatentados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG