Dolorosa relação entre política e Jogos Olímpicos

Desde sua primeira edição em 1896, os Jogos Olímpicos modernos raramente escapam ao contexto político mundial, pelo que a atual polêmica envolvendo os Jogos de Pequim deste ano não são a primeira, nem até o momento, a mais grave, da história.

AFP |

1896 - Atenas: A Turquia, em crise com a Grécia, não envia atletas. A equipe de ginástica francesa não embarca para os Jogos por se negar a competir contra os alemães.

1916 - Os jogos Olímpicos de Berlim são anulados devido à Primeira Guerra Mundial.

1936 - Berlim é a capital anfitriã. Durante a cerimônia de abertura desfilaram as juventudes hitlerianas. A delegação francesa, ao passar diante de Hitler, levantou o braço em um gesto ambígüo. Assegurou que foi uma "saudação olímpica", mas a multidão presente a considerou uma saudação hitleriana e aplaudiu.

1940 - Os Jogos Olímpicos programados primeiro para Tóquio e depois para Helsinki, foram anulados. Em 1944, em plena guerra, ninguém se prontificou a organizá-los. Em 1948 foram realizados em Londres sem a presença da Alemanha e do Japão, que foram proibidos de participar.

1952 - Helsinque: Alemanha e Japão voltam a participar. A União Soviética participa pela primeira vez.

1956 - Os Jogos de Melbourne começam em 22 de novembro. No dia 24 de novembro, os tanques soviéticos invadem a Hungria. A final da disputa de waterpolo foi entre a Hungria e a União Soviética, o que gerou um enorme confronto entre os dois times. Um dos jogadores ficou ferido no supercílio. A Hungria venceu a partida, mas nenhum jogador quis voltar ao país.

1964 - Tóquio: Indonésia e Coréia do Norte foram eliminadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e a China se negou a participar em protesto contra a presença de Taiwan no COI.

1968 - O gesto com o punho levantado dos negros americanos John Carlos e Tommie Smith sobre o pódio dos 200 metros no México fez história. Protestavam contra a desigualdade racial nos Estados Unidos.

1972 - Munique: O pior drama da história dos Jogos Olímpicos. Um comando israelense seqüestrou atletas israelenses e exigiu a libertação de prisioneiros detidos em Israel. Após as negociações fracassadas, veio um banho de sangue. Morreram 11 israelenses, além de cinco seqüestradores e um policial alemão.

1976 - A maioria dos países africanos boicotou os Jogos de Montreal em protesto contra a presença da Nova Zelândia, cujo time de rúgbi jogou contra o da África do Sul, excluído do mundo esportivo devido ao regime do "apartheid" que imperava no país.

1980 - A União Soviética invadiu o Afeganistão em 24 de dezembro de 1979. Mais de 60 países, entre eles Estados Unidos, boicotaram os Jogos organizados desta vez em Moscou.

1984 - Em represália ao boicote de 1980, a União Soviética e 16 outros países satélites se negaram a participar dos Jogos de Los Angeles, nos EUA.

1988 - Seul: Em um clima de guerra fria, os países comunistas ameaçaram um novo boicote que, no final, somente a Coréia do Norte, Cuba e Etiópia aderiram.

1996 - Atlanta: Uma bomba colocada por um extremista americano explodiu na Vila Olímpica causando a morte de duas pessoas e 112 feridos.

cpb/cl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG