Mogadíscio, 1 abr (EFE).- Um grupo de homens armados seqüestrou hoje dois trabalhadores de uma agência da ONU, um britânico e um queniano, no sul da Somália e um dos reféns ficou ferido, informaram fontes policiais.

Os dois estrangeiros trabalham para o Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Os seqüestradores atiraram contra o veículo onde estavam, perto da localidade de Buale, antes de tomá-los como reféns.

"Os homens armados feriram um dos seqüestrados", disse um policial, acrescentando que as forças de segurança estão tentando "averiguar que direção tomaram".

Os membros da agência da ONU estavam revisando a situação dos campos de cultivo e do volume do rio Jubba, que liga as cidades de Bardhere e Kismayo, esta última o segundo porto em importância do país.

O ataque aconteceu no início do dia, quando os estrangeiros se aproximavam de Buale após deixar o distrito de Sakow.

Não se sabe as razões do seqüestro e as exigências dos seqüestradores. Há três semanas, a FAO tinha retirado seu pessoal estrangeiro de Buale, diante de eventuais represálias de milicianos devido a vários ataques aéreos dos EUA na zona de Dhobley. EFE aa/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.