Dois réus se declaram inocentes por complô no metrô de NY

Por Daniel Trotta NOVA YORK (Reuters) - Dois suspeitos de envolvimento com o plano de um atentado suicida no metrô de Nova York declararam-se inocentes nesta quinta-feira, três dias depois de o afegão Najibullah Zazi confessar de forma surpreendente que era o mentor do frustrado complô.

Reuters |

Zazi, de 25 anos, e dois ex-colegas de colégio do Queens (distrito de Nova York) são acusados de terem viajado juntos ao Paquistão em 2008, quando teriam sido recrutados pela Al Qaeda e treinados na produção de bombas.

Depois da confissão de Zazi, que está cooperando com as autoridades, Adis Medunjanin e Zarein Ahmedzay foram indiciados na Corte federal do Brooklyn por conspiração para o uso de armas de destruição em massa, conspiração para cometer homicídio em um país estrangeiro e por terem recebido treinamento da Al Qaeda.

Eles se declararam culpados por intermédio de seus advogados.

Ambos já haviam sido acusados de fornecer ajuda material à Al Qaeda, o que incluiria dinheiro, treinamento, equipamentos de comunicação e material. Ahmedzay, em particular, é acusado de fazer falsas declarações ao FBI.

O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, considerou esse complô como uma das mais graves ameaças ao país desde os atentados de 11 de setembro de 2001, e promotores disseram que pode haver mais réus no exterior.

(Reportagem de Daniel Trotta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG