Dois principais líderes da Al Qaeda no Iraque morrem em ataque

Por Waleed Ibrahim BAGDÁ (Reuters) - Os dois principais líderes da Al Qaeda no Iraque morreram, disseram autoridades nesta segunda-feira, em um ataque que o Exército norte-americano disse ser um golpe potencialmente devastador para os militantes, mas que analistas dizem que pode ter impacto limitado.

Reuters |

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, disse que o líder da Al Qaeda no Iraque, Abu Ayyub al-Masri, e Abu Omar al-Baghdadi, o suposto chefe do braço local, o Estado Islâmico do Iraque, foram encontrados mortos em um buraco no chão dentro de casa depois que o local foi cercado e invadido pelas tropas.

As mortes poderiam ser um forte revés para a insurgência, no momento em que o Iraque está emergindo de um massacre sectário que começou depois da invasão de 2003 iniciada pelos EUA, mas ainda enfrenta dificuldades para por fim às bombas suicidas e outros ataques.

"A morte desses terroristas é possivelmente o golpe mais significante contra a Al Qaeda no Iraque desde o início da insurgência", disse o comandante norte-americano no Iraque, general Ray Odierno. O militar descreveu a ofensiva como um "golpe potencialmente devastador".

Os assassinatos poderiam fortalecer a imagem de Maliki, que tenta garantir sua reeleição como primeiro-ministro, após a eleição de 7 de março que não determinou um claro vencedor.

Maliki disse que Masri, também conhecido como Abu Hamza al-Muhajir e supostamente um egípcio, e Baghdadi foram mortos em Thar-Thar, uma área rural a 80 quilômetros a noroeste de Bagdá, considerada um incubadora de atividades da Al Qaeda.

O Exército norte-americano disse que a operação foi realizada no domingo a 10 quilômetros de Tikrit, cidade natal de Saddam Hussein.

Um soldado dos EUA morreu com a queda de um helicóptero durante a ofensiva, informou o Exército. Anteriormente, as forças norte-americanas tinham dito que a queda tinha ocorrido num acidente, e não devido a combates.

Um assistente de Masri e um filho de Baghadadi também morreram no confronto e ao menos 16 pessoas foram presas.

O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, também disse que as mortes dos líderes da Al Qaeda eram um golpe potencialmente "devastador" ao grupo. "Mas igualmente importante é a minha visão de que essa ação demonstra o fortalecimento da segurança e da capacidade das forças se segurança iraquianas", disse o vice-presidente a jornalistas.

Analistas afirmam que Masri e Baghdadi eram as duas figuras mais importantes da Al Qaeda vítimas de ataques no Iraque desde a morte do ex-chefe da organização no país, Abu Musab al-Zarqawi, em um ataque aéreo dos EUA em junho de 2006.

Mas alertaram que os ataques podem não representar muito, uma vez que a rede não aparenta ter muita hierarquia e atua principalmente em células individuais.

(Reportagem adicional de Michael Christie)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG