Dois policiais israelenses mortos em atentado no Vale do Jordão

Dois policiais israelenses foram mortos a tiros na noite deste domingo na localidade de Mesoa, na Cirjordânia, no norte do Vale do Jordão, informou um porta-voz da polícia.

AFP |

"Dois policiais que circulavam pelo Vale do Jordão foram mortos a tiros. Segundo os primeiros elementos da investigação, trata-se de um atentado", disse à AFP o porta-voz Micky Rosenfeld.

A ação foi reivindicada em um telefonema à AFP pelo "grupo Imad Moughnieh", nome do dirigente militar do Hezbollah morto em fevereiro de 2008, em Damasco, em um ataque atribuído a Israel pelo movimento libanês.

Segundo Rosenfeld, vários homens da polícia e do Exército foram enviado ao local do atentado e no momento realizam uma vasta operação de busca dos autores do ataque.

O site do jornal Haaretz revela que um dos policiais chegou com vida ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O ataque ocorreu na estrada nacional 90, ao longo da fronteira com a Jordânia, e o policial que dirigia perdeu o controle do veículo ao ser atingido pelos tiros.

O grupo Imad Moughnieh se manifesta raramente, mas já reivindicou alguns ataques anti-israelenses após a morte do chefe do Hezbollah, sobre a qual Israel nega qualquer responsabilidade.

O Vale do Jordão, que se estende por 70 km ao longo da fronteira com a Jordânia, representa um terço da área da Cisjordânia, ocupada por Israel desde 1967.

Desde o início da atual Intifada, em setembro de 2000, Israel tem limitado o trânsito de palestinos por este setor, controlando especialmente a estrada 90, a principal rota norte-sul da Cisjordânia.

Israel tem 26 colônias e quatro bases militares no Vale do Jordão, onde vivem 7 mil israelenses.

jlr/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG