Dois militares são acusados por tentativa de golpe na Venezuela

Dois oficiais militares serão processados por incitar a rebelião na Venezuela, depois de denúncias realizadas pelas autoridades sobre a existência de um complô para derrubar o governo do presidente Hugo Chávez, informou nesta quinta-feira o promotor militar Ernesto Cedeño.

AFP |

"Os órgãos de segurança do Estado atuaram de forma muito diligente", disse Cedeño à imprensa.

O promotor revelou que o general-de-divisão reformado Wilfredo Barroso e o major da reserva Elímides Labarca Soto serão levados à justiça militar para responder pelo crime de "incitação à rebelião", punido com cinco a dez anos de prisão.

Cedeño disse ainda que "outras quatro pessoas" estão sendo interrogadas neste momento pelos organismos de inteligência do Estado e outros oito militares "foram localizados e serão levados durante a noite" para interrogatório.

Na madrugada desta quinta-feira, um programa de televisão mostrou uma gravação com a conversa de três militares, que planejavam atacar o palácio presidencial de Miraflores em Caracas e explodir o avião de Chávez, em um suposto complô com o objetivo de tomar o poder na Venezuela.

Chávez ordenou uma investigação sobre o episódio, "e a promotoria militar a assumiu de imediato com seriedade e responsabilidade", afirmou Cedeño.

"Já estão aparecendo as pessoas envolvidas nisso", concluiu.

cd/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG