Nairóbi, 28 abr (EFE).- Dois trabalhadores estrangeiros da organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) - um belga e outro holandês - foram libertados hoje no sul da Somália após nove dias de sequestro, informou a emissora Radio Shabelle.

Segundo a fonte, a libertação aconteceu após uma série de negociações com a mediação dos anciãos de um clã do distrito de Radbure, na região de Bakol, próxima à fronteira com o Quênia.

Fontes dos mediadores que confirmaram a libertação dos dois estrangeiros disseram à emissora que não foi pago qualquer resgate ao grupo que os tinha sequestrados, que pedia US$ 4 milhões para colocá-los em liberdade.

Os dois funcionários estrangeiros da MSF foram sequestrados quando viajavam do distrito de Radbure para Hudur, capital provincial de Bakol. EFE pa/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.