Dois líderes radicais islâmicos da Indonésia são condenados a 15 anos de prisão

Um tribunal indonésio condenou nesta segunda-feira a quinze anos de prisão por terrorismo o líder supremo e chefe do braço armado da Jemaah Islamiyah (JI), maior rede islâmica do Sudeste Asiático.

AFP |

Zarkasi e Abu Dujana, julgados de forma separada pelo mesmo tribunal, foram considerados culpados de ter ajudado terroristas e de ter estocado e transportado armas e munições destinadas a atos de terrorismo.

"Abu Dujana é considerado culpado de maneira legal e convincente de crime de terrorismo", declarou Wachyono, presidente do tribunal.

Zarkasi "sabia que as armas e as munições seriam utilizadas para atos de terrorismo, mas não avisou" as autoridades, disse Risdianto, um segundo magistrado.

Preso em junho de 2007, Abu Dujana, um muçulmano fundamentalista que ministra aulas em escolas corânicas na Malásia e na Indonésia, foi apresentado pela Polícia como líder do braço armado da Jemaah Islamiyah.

Preso também em junho de 2007 durante uma operação na ilha de Java, Zarkasi foi apresentado como líder supremo da JI.

bs/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG