Dois governadores bolivianos aderem à greve de fome por royalties do petróleo

La Paz, 5 ago (EFE) - Os governadores regionais de Beni, Ernesto Suárez, e Pando, Leopoldo Fernández, ambos opositores ao presidente boliviano, Evo Morales, se somaram à greve de fome para exigir que seja restituída a renda petrolífera regional, informaram hoje fontes oficiais dos dois departamentos.

EFE |

O protesto, que começou nesta segunda-feira com os líderes cívicos de Santa Cruz e que se estendeu a quatro dos nove departamentos do país - Beni, Pando, Santa Cruz e Tarija -, ocorre faltando cinco dias para o referendo revogatório dos mandatos do presidente, o vice-presidente e oito dos nove governadores.

Com esta medida, os grevistas pedem a devolução de 30% do Imposto Direto aos Hidrocarbonetos (IDH), retido às regiões pelo Governo para financiar uma renda destinada aos idosos com mais de 60 anos.

O governador regional de Beni declarou à rádio "Erbol" que o Conselho Nacional Democrático (Conalde), formado pelos dirigentes opositores de seis departamentos, enviou uma carta ao presidente pedindo a devolução dos recursos do IDH.

Além dos governadores regionais de Beni e Pando, o líder de Santa Cruz, Rubén Costas, deve aderir hoje ao protesto nesta região onde se prevê que a greve de fome tenha um "grande acompanhamento por parte de diversos setores sociais", informou à Agência Efe um porta-voz da Prefeitura. EFE lav/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG