Dois bispos renunciam após denúncia de abusos na Irlanda

DUBLIN - Dois bispos irlandeses anunciaram nesta sexta-feira que apresentaram os pedidos de renúncia ao papa Bento 16, se unindo assim a outros dois religiosos, após a divulgação de um relatório que acusa a Igreja Católica de ter acobertado os abusos cometidos por bispos pedófilos na região de Dublín.

AFP |

"Nós, o bispo Eamonn Walsh e o bispo Raymond Field, informamos ao arcebispo Diarmuid Martin que apresentamos nossa demissão a Vossa Santidade, o papa Bento 16, como bispos auxiliares do arcebispo de Dublin", afirmam em um comunicado publicado no site da diocese da capital irlandesa.

"Enquanto celebramos a festa de Natal, o nascimento de nosso Senhor, o príncipe da paz, nossa esperança é que nossa ação possa ajudar a devolver a paz e a reconciliação de Jesus Cristo às vítimas/sobreviventes destes abusos sexuais", acrescenta o texto, no qual ambos reiteram os pedidos de desculpas.

Várias associações de apoio às vítimas pediam a demissão de ambos desde a publicação do relatório Murphy, que acusa as autoridades do arcebispado de Dublin de proteção aos bispos responsáveis pelos abusos sexuais de menores de idade, por não terem denunciado os crimes à polícia.

O bispo de Limerick, Donald Murray, anunciou a renúncia em 17 de dezembro e o bispo de Kildare e Leighlin, James Moriarty, fez o mesmo na quarta-feira.

Leia mais sobre Igreja Católica

    Leia tudo sobre: igreja católica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG