Dois ativistas indígenas de Oaxaca são assassinados em uma emboscada

Oaxaca (México), 24 set (EFE).- Dois ativistas indígenas da etnia triqui no estado de Oaxaca, sul do México, foram assassinados em uma emboscada quando viajavam de volta à cidade de Putla del Guerrero, informou hoje a Agência Estatal de Pesquisas (AEI), dependente da Promotoria do Estado.

EFE |

Os ativistas Raúl Cisneros e Jaime López participavam do Movimento Unificador de Luta Triqui (MULT) e foram surpreendidos, aparentemente por um grupo de cerca de cinco pessoas armadas com fuzis automáticos AK-47, em uma estrada federal quando retornavam do município de Tlaxiaco, no mesmo estado, a duzentos quilômetros da capital.

Um dos assassinados, Cisneros, de 50 anos, foi candidato a prefeito em Putla del Guerrero no ano 2004, pelo Partido Unidade Popular (PUP), integrado majoritariamente por indígenas.

Depois da emboscada policiais estaduais montaram uma operação para deter aos agressores, com quem chegaram a trocar tiros, deixando um agente ferido. Os supostos delinquentes conseguiram fugir.

O município de Putla de Guerrero se localiza na zona mixteca da serra de Oaxaca e é uma região com um índice alto de fatos violentos devido a conflitos políticos internos.

Na mesma zona, em abril de 2008, foram assassinadas as líderes indígenas Teresa Merino Bautista e Felicitas Martínez Sánchez.

A população triqui é formada por cerca de 20 mil pessoas e em suas comunidades há diversos grupos organizados que disputam o poder, entre eles o MULT e a organização Unidade de Bem-estar Social da Região Triqui (Ubisort). EFE ora/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG